ULTRA Sistema

ULTRA
Sistema "a Cappotto"

Invólucro a Húmido

O sistema de revestimento "a capote" alcançou nos últimos anos uma notável difusão na Europa, graças às crescentes e vinculativas necessidades de garantir um adequado conforto térmico dos edifícios, seja de nova construção, seja remodelados.

Logo Ultra

Invólucro a Húmido

O sistema de revestimento "a capote" alcançou nos últimos anos uma notável difusão na Europa graças às crescentes e vinculativas necessidades de garantir um adequado conforto térmico dos edifícios, seja de nova construção, seja remodelados. O isolamento do invólucro é, de facto, o primeiro passo para a contenção dos fluxos energéticos e a redução das necessidades energéticas nos edifícios, traduz-se num maior conforto para os utilizadores e numa poupança económica devida a um menor consumo de energia necessária para aquecer e arrefecer os espaços internos.

O sistema, para realizar um capote térmico com placas Ultr,a muda a estratigrafia do tradicional sistema a capote com acabamento mineral, mas em relação a essa confere um valor acrescentado determinado pelo acabamento com placas de grés porcelânico fino.
De facto, o sistema a capote permite o assentamento sobre o estrato de isolamento térmico (cuja espessura deve ser decidida com base nos cálculos do projeto) de placas em grés porcelânico com a espessura de 6 mm.

O sistema proposto requer um suporte mecanicamente resistente, e para o obter estudou-se um sistema de revestimento e assentamento sobres painéis isolantes em EPS ou XPS (respetivamente poliestireno expandido ou poliestireno expandido extrudido) caracterizado por elevadas resistências mecânicas (à tração e à compressão) e baixo módulo elástico, capaz de suportar o peso e as solicitações geradas pelos revestimentos e pelas dilatações térmicas.

O isolante deve ter uma superfície áspera para favorecer a ancoragem do revestimento, perfis quadrangulares e sem batente, e a espessura estabelecida pelo cálculo do projeto. No que concerne as placas de revestimento, devem preferir-se aquelas com cores claras, que tenham um índice de reflexão superior a 20%.

Nestas circunstâncias, deve-se sublinhar que o alcançar dos resultados esperados em termos de isolamento térmico e de durabilidade do revestimento está estreitamente correlacionado com a cuidadosa e correta elaboração do projeto, relativamente aos detalhes da construção do sistema em todos os pontos em que se poderia vir a criar uma ponte térmica e com a correta realização das obras.

Sistema a Cappotto


SEQUÊNCIA DE ASSENTAMENTO SISTEMA A CAPOTE

PARA UMA CORRETA REALIZAÇÃO DO SISTEMA A CAPOTE, É NECESSÁRIO RESPEITAR ALGUMAS
MEDIDAS:

1. O assentamento Deve ser realizado com o método da aplicação dupla, estendendo a cola quer no fundo, quer na parte posterior da placa, de modo a garantir a ausência de vazios na interface revestimento/suporte, onde a água da chuva, poderia infiltrar-se e estagnar criando (em caso de gelo) tensões que poderiam provocar a separação do revestimento. Além disso, neste modo repartem-se uniformemente sobre uma superfície mais ampla as tensões que se verificarão em seguimento dos movimentos diferenciais entre revestimento e suporte, devidos, por exemplo, a variações térmicas, e para evitar fenómenos de eflorescência na fachada.

2. O assentamento deve ser efetuado com junta larga, com largura correlata ao formato das placas e às condições climáticas locais.

3. Ocorre respeitar as juntas estruturais, quer no que concerne a dimensão, quer a posição. Além disso devem prever-se juntas de fraccionamento em correspondência de faixas marca-plano, ângulos e arestas (e em todo o caso cada 9-12 m2)

4. É necessário proteger o revestimento contra a penetração de água e contra potenciais danos devidos a ciclos de gelo-degelo, mediante a aplicação de adequadas selagens ou calhas metálicas na parte superior e inferior de todo o revestimento, e em correspondência de janelas e aberturas.

Sistema a Cappotto


UTILIZAÇÃO SISTEMA CAPOTE

O Sistema a Capote é utilizado em todas as intervenções de nova construção ou remodelação nas quais há necessidade de isolar
termicamente o invólucro e de alcançar os necessários valores previstos pela lei de transmitância dos componentes verticais do invólucro, ou de
responder às necessidades energéticas para o funcionamento do edifício.

Sublinha-se que, no caso de nova construção ou de grande remodelação de um imóvel subsiste a obrigação de respeitar os requisitos de desempenho supra-indicados e que estão atualmente em vigor algumas medidas incentivadoras para melhorar a eficiência energética dos edifícios mediante deduções fiscais (nas quais se pode incluir o sistema a capote).

No esquema que segue propõe-se uma gama de dimensões e algumas indicações principais sobre a colagem de placas Ultra em revestimento a capote externo. Recorda-se que a gama dimensional é puramente indicativa, uma vez que se podem realizar revestimentos em exteriores com placas Ultra de todas as dimensões, até ao formato pleno de 150x150 cm.

Sistema a Cappotto

NOTAS:p>

A legenda refere-se à altura do edifício fora-da-terra.

XPS: Poliestireno extrudido
EPS: Poliestireno expandido sinterizado

Precisa de mais informações?
Contate-Nos!

Nuestra web utiliza cookies para garantizarte una experiencia de navegación mejor.
Si deseas más información sobre las cookies y sobre cómo configurar su activación en el navegador, lee nuestra Política sobre Cookies.